Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility

Consultoria em biblioteca, literatura e leitura.

- A +

Oficina online de minicontos tem início com canções e fábulas

Postado em 08 DE março DE 2021
[caption id="attachment_64368" align="aligncenter" width="3264"]Milena Mulatti Magri e Gustavo Scudeller. Foto: arquivo pessoal. Milena Mulatti Magri e Gustavo Scudeller. Foto: arquivo pessoal.[/caption]

Uma canção de Tim Maia, duas fábulas e um miniconto foram alguns dos materiais que os professores Milena Mulatti Magri e Gustavo Scudeller compartilharam na primeira aula da Oficina Online Personagens do Trabalho, em 6 de março. A atividade integra o Literatura Brasileira no XXI, projeto realizado em parceria com a Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). O objetivo dos encontros, marcados para todos os sábados de março (inscrições encerradas), é promover uma reflexão sobre o labor, o emprego e outras questões relacionadas com o tema, e, a partir daí, estimular a criação de conteúdos autorais, no formato de miniconto.

Na teoria, esse gênero representa um tipo de texto muito curto,  que usa o mínimo de elementos para exprimir uma ideia. Ele tem, entre suas principais características, a concisão e o subtexto. E, para introduzir o assunto, já estabelecendo conexão com os aspectos do trabalho, a canção "Um dia eu chego lá", de Tim Maia, foi a selecionada pela dupla que comandou a manhã de atividades. Milena, que é especialista em Literatura Brasileira e Teoria da Literatura, e Gustavo, professor do Departamento de Letras da Unifesp, traçaram paralelos entre as escolhas feitas pelo autor e as lacunas deixadas pela música para que o ouvinte preenchesse.

 

[caption id="attachment_64383" align="aligncenter" width="1025"]Reprodução. Reprodução.[/caption]

Esse encadeamento de ideias também passou pela apresentação de um trecho do documentário "Art é Arte", sobre o sarau da Cooperifa, movimento cultural da zona Sul de São Paulo. A relação do taxista Jairo com a poesia que ele extrai do dia a dia nas ruas, nos intervalos ou durante seu trabalho, foi o "recorte" do vídeo feito pelos professores.

A aula promoveu ainda a interpretação de duas fábulas: "O estojo e as pérolas" e  "Ajudando as plantas a crescerem", extraídas do livro "Fábulas chinesas", de Sérgio Capparelli e Márcia Schamltz. A música tomou conta de parte das reflexões, com as referências trazidas por Milena e Gustavo com a canção "Dorival", da Academia da Berlinda.

[caption id="attachment_64382" align="aligncenter" width="1027"]Reprodução. Reprodução.[/caption]

[caption id="attachment_64386" align="aligncenter" width="1024"]Reprodução. Reprodução.[/caption]

As intersecções com a obra e o próprio nome de Dorival Caymmi, os perigos da vida de um trabalho que se dá no mar, as inquietações - inclusive ciúmes - de alguém que gostaria que o outro tivesse um emprego mais estável foram alguns aspectos do estudo. Para encerrar, um miniconto (reproduzido abaixo), como exemplo, abriu caminho para o exercício do dia. Os alunos ficaram de produzir um desses textos bem curtos, deixando lacunas significativas para a interpretação do leitor, seja na construção dos personagens, do cenário ou no desenlace da narrativa. Importante acrescentar que o resultado da atividade renderá publicações no site do projeto Literatura Brasileira no XXI.

Que tal você também experimentar o mesmo exercício em casa? Pode ser um bom início para praticar a escrita criativa. Como os alunos, em aula, parta, por exemplo, de narrativas que incluam histórias que aconteceram no seu trabalho, com seus colegas ou com você, enquanto trabalhava.

[caption id="attachment_64389" align="aligncenter" width="1920"]Reprodução. Reprodução.[/caption]