Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility

Consultoria em biblioteca, literatura e leitura.

- A +

SP Leituras participa de conferência internacional

Postado em 26 DE maio DE 2021
Discutir a promoção da leitura, a aproximação de pessoas do livro e a força das ações comunitárias em um mundo globalizado e agora, pandêmico, são os desafios da “IV Conferência internacional sobre a Língua Portuguesa no sistema mundial”, que teve início hoje e segue até o dia 28. O encontro virtual, organizado pelo governo de Cabo Verde, reúne especialistas de diversos países, entre eles, o diretor executivo da SP Leituras, Pierre André Ruprecht.

Esta conferência tem como enfoque central vislumbrar “Horizontes e perspectivas da Língua Portuguesa”. O tema será tratado através de cinco eixos: políticas públicas para a promoção da leitura; a diversidade na escrita literária em Língua Portuguesa; o ensino da Língua Portuguesa em contexto de mobilidade; ciência, investigação e inovação em Língua Portuguesa e tecnologia e economias criativas: cenários emergentes em Língua Portuguesa.

Pierre André Ruprecht participou da conferência dentro do eixo que trata das políticas públicas e sua relação com a promoção da leitura. Em sua apresentação, destacou as atividades propostas pela Biblioteca de São Paulo (BSP), Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL) e Sistema Estadual de Bibliotecas de São Paulo (SisEB), geridos pela SP Leituras.

Neste desafiante ano de pandemia e isolamento social, “ trouxemos atividades com as mais diversas linguagens, que serviram para atrair públicos de outras formas”, conta Pierre. Nas bibliotecas foram oferecidos saraus, encontros com escritores, oficinas de escrita e de HQs, além do trabalho essencial ligado à literatura oral e manuseio de livros. Entre os exemplos, também foram mencionados a biblioteca digital, os clubes de leitura e do audiolivro e as ações com jovens e crianças dentro das comunidades. Das realizações do SisEB, destacou o programa Viagem Literária, dedicado a promover diálogos e dinamizar a programação cultural das bibliotecas públicas municipais.

Segundo Ruprecht, embora o atual cenário traga aprendizados sobre novas formas de usar a tecnologia, as bibliotecas continuarão sendo esse lugar de palavra, de afeto, de pessoas. Um espaço para unir vozes e abrir caminhos.

Para acompanhar os debates, desta conferência, que acontece de modo virtual, acesse aqui.