Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility

Consultoria em biblioteca, literatura e leitura.

- A +

Renan Inquérito mostra suas criações na pandemia e a relação do rap com a cidade

Postado em 12 DE novembro DE 2021
Crédito: Marcio Salata

No mesmo mês de comemoração do Dia do Hip Hop, 12 de novembro, a Biblioteca de São Paulo recebe o expoente do rap nacional Renan Inquérito. O compositor, geógrafo, poeta, RAPeiro e SARAUzeiro, ministrará a oficina Parada Poética - Dicionário do esquecimento, em 24 de novembro, às 10h.

A proposta é instigar as pessoas a criarem novos significados para palavras tradicionais, por meio de olhar mais sensível e afetivo. “Esta oficina é uma somatória de várias vivências literárias já realizadas anteriormente com crianças e adolescentes de todo Brasil, unindo teoria, prática e participação, maltratando a gramática e colocando a culpa na licença poética, brincando com as palavras para a poesia nascer”, conta.

Desde 1997, Renan atua na cultura Hip Hop, ano de fundação do grupo INQUÉRITO. Desde então, já soma oito discos produzidos, dezenas de músicas, videoclipes e centenas de shows. Além disso, está à frente do Sarau Parada Poética. “Eu acho que o rap e a poesia se retroalimentam, assim como o Hip Hop e os saraus periféricos, todas essas manifestações urbanas fazem parte do relevo da voz da cidade”, explica.

Em meio à pandemia, Renan Inquérito lançou um novo álbum com nove faixas chamado iSOLamento. Ainda em 2020, publicou o livro Poesia Pra Encher a Lave 2.0. “Foi um momento onde pude resgatar muitos escritos adormecidos, guardados nas gavetas da memória, me curei com as palavras, e ao encontrar o SOL dentro do iSOLamento me aqueci do frio do lockdown, uma verdadeira curadoria”, relata Renan.