Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility

Consultoria em biblioteca, literatura e leitura.

- A +

Prêmio São Paulo de Literatura anuncia ganhadores da 13ª edição

Postado em 09 DE dezembro DE 2020
A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado anunciou nesta quarta os dois ganhadores da 13ª edição do Prêmio São Paulo de Literatura, o maior do País em premiação individual para romances. Cada autor receberá R$ 200 mil. A cerimônia de entrega está prevista para março de 2021.

A carioca Claudia Lage, que é escritora e roteirista, venceu na categoria de melhor romance de ficção, com a obra "O Corpo Interminável", da Editora Record. A obra reconstitui a história de uma mãe, guerrilheira, desaparecida durante a ditadura militar, a partir da investigação do filho dela.

O catarinense Marcelo Labes, escritor e poeta, venceu na categoria melhor romance de estreante, com o livro "Paraízo-Paraguay", da Editora Caiaponte. O título conta a história da imigração alemã no sul do Brasil do ponto de vista de um alemão que se tornou Voluntário da Pátria na Guerra do Paraguai.

O júri final do Prêmio São Paulo de Literatura foi composto pelos seguintes profissionais do segmento literário: Allison Leão, André de Leones, Camila Von Holdefer, Henrique Rodrigues, Karleno Bocarro, Maria Adélia Menegazzo, Mirna Queiroz, Paulo Cruz, Susana Scramim e Valéria Martins.

Veja quais foram os finalistas:

Melhor Romance de Ficção de 2019

Adriana Lisboa, Todos os santos (Schwarcz)
Claudia Lage, O corpo interminável (Record)
Javier Contreras, Crocodilo (Schwarcz)
João Anzanello Carrascoza, Elegia do irmão (Schwarcz)
Joca Reiners Terron, A morte e o meteoro (Todavia)
Julián Fuks, A ocupação (Schwarcz)
Maria Valéria Rezende, Carta à rainha louca (Schwarcz)
Milton Hatoum, Pontos de fuga (Schwarcz)
Patrícia Melo, Mulheres empilhadas (Casa dos Mundos)
Paulo Scott, Marrom e amarelo (Schwarcz)

Melhor Romance de Ficção de Estreia do Ano de 2019

Carol Rodrigues, O melindre nos dentes da Besta (7Letras)
Davi Boaventura, Mônica vai jantar (Dublinense)
Felipe Holloway, O legado de nossa miséria (Record)
Gabriela Aguerre, O quarto branco (Todavia)
José Rezende Jr., A cidade inexistente (7 Letras)
Lucila Losito Mantovani, Com o corpo inteiro (Pólen Livros)
Marcelo Labes, Paraízo-Paraguay (Caiaponte)
Miguel del Castillo, Cancún (Schwarcz)
Natalia Borges Polesso, Controle (Schwarcz)
Ricardo da Costa Aguiar, Das terras bárbaras (Alaúde)