Morre a escritora e dramaturga Edy Lima, em São Paulo


A escritora gaúcha Edy Lima morreu, neste sábado, dia 1º, aos 96 anos. Com cerca de 50 obras publicadas, entre as mais conhecidas do público está a infantil “A vaca voadora”, o primeiro de uma série de sete livros, cujas personagens centrais são mulheres independentes, corajosas e sábias. Em sua trajetória literária, destacou a posição das mulheres na sociedade, e mesmo que o público fossem as crianças sabia conduzir sua linguagem com destreza e simplicidade. O folclore brasileiro foi outro dos seus temas favoritos, que alimentou diversas das suas criações.

Parte da sua obra foi traduzida para o espanhol, italiano e catalão. Recebeu vários prêmios, entre eles o Jabuti, em 1975. Além de escritora, Edy foi jornalista e dramaturga. É autora de peças de teatro e fez parte do seminário do Teatro de Arena de São Paulo.

Nascida em Bajé, no Rio Grande do Sul, onde passou a infância e a adolescência. Antes de mudar-se para São Paulo, viveu alguns anos em Porto Alegre, onde escreveu para jornais e estabeleceu uma profunda amizade com o poeta Mario Quintana, que fez versos para ela. Monteiro Lobato, além de figurar entre seus amigos mais próximos, foi de quem recebeu estímulo para mudar-se para a capital paulista.